“Scanner Planetário de Livros”, “ou simplesmente o melhor scanner para tudo”?
... É bastante claro para todos e muito simples de definir o ElarScan: “é um scanner sem contato com os originais, para Bibliotecas / Arquivos (documentos encadernados), para digitalização de todos os tipos de documentos, e para ser usado em departamentos governamentais, escritórios corporativos, centros de processamento de documentos, lojas de cópia, em instituições municipais e financeiras, empresas farmacêuticas e para em cartórios ou notários”
— Declaração do departamento de marketing

“O mesmo que todos usam” — bom. Mas nem sempre.

Vivemos no mundo de estereótipos e padrões de massa. Não há necessidade de perguntar — qual é o filme mais popular da atualidade, qual a marca de calças que está na moda, ou qual o modelo de máquina de café que devo comprar — tudo isso está escrito e refletido nos inúmeros outdoors, páginas web, ou simplesmente na TV. É bastante conveniente e poupa-nos tempo quando chega o momento de escolher, por exemplo, o modelo de eletrodoméstico, ou um carro: a primeira opção já é clara, e é possível que não seja errada, ou mesmo bastante adequada No caso de soluções ou equipamentos profissionais, não é assim que as coisas funcionam e outros elementos são tidos em consideração!

O que é ElarScan?

Na atualidade as cameras dos smartphones estão na moda e são usadas para muitos mais que fotografias. Servem perfeitamente para tarefas domésticas, como fotografar e guardar recibos, que não devem ser perdidos, para “digitalizar” documentos que pretendemos enviar por emial, mas, ainda assim, não são adequados para digitalização do dia-a-dia e armazenamento digital de arquivos de diferentes tipos de clientes. É aqui que entra o ElarScan. É um scanner “planetário” de documentos, e adequado para digitalização de múltiplos formatos. Desde documentos encadernados e “difíceis” de digitalizar, a arquivos e pastas de um escritório, de um departamento administrativo ou mesmo, centros de processamento de documentos. Eles também são chamados de scanners de livros, ou “face-up”, ou “over-head” (Como um projetor), e até mesmo “scanners fotográficos”. O ElarScan é um dispositivo para digitalização para tudo — para documentos e também objetos — não necessariamente livros ou papéis: podem ser medalhas e moedas, amostras de tecidos e alguns acessórios, qualquer artigo e artefacto.Este sistema regesse pelo princípio importante da operação contínua e produtiva: “para ver o que você está digitalizando e não ter de ficar virando as páginas para cima e para baixo ” — ao contrário dos scanners de mesa (flatbed), o ElarScan gera imagens imediatamente e de alta qualidade, para posteriormente guardar os arquivos no formato pretendido.

O que mais é relevante?

Garantidamente o alto desempenho: para uma operação confortável, o tempo de digitalização deve ser inferior ao tempo de virar uma página — não mais que alguns segundos! Outro aspecto é a versatilidade, é necessário um grande format máximo — até A2 (aproximadamente 40×60 cm), que permita a digitalização de mapas, planos, cartazes ou desenhos. O sistema deve ter a possibilidade de ter um tampo plano, mas, simultaneamente, e no caso de surgir uma pasta ou livro de difícil abertura, ter um berço (com compensador de lombadas), ou simplesmente adaptar-se e transforma-se num suporte de forma V, com um ângulo ajustável. Deverá ainda, para situações extremas, como por exemplo visualizar os filamentos finos de um tecido ou detalhes de uma peça de museu ou até mesmo um registro antigo — dispor de um sistema zoom, que nos permita aumentar a resolução e ampliar a imagem várias vezes (!) Pressionando o botão de “macroscan”.

Porquê um “scanner de livros”?

O termo é histórico: antes das “reprografias” (cujo design e princípio de operação eram muito semelhantes aos ampliadores fotográficos, quase esquecidos e utilizados na impressão de fotos, negativos e slides), foram, mais recentemente, usados na digitalização de valiosos livros antigos, como a Bíblia de Gutenberg. As camaras digitais com milhões de pixéis não existiam, e em vez de um filme nas camaras fotográficas do “copy-stand”, utilizaram-se as “back digitais” eletromecanicas. No início da década 90, as back digitais já forneciam uma resolução muito elevada, o equivalente a cerca 100 megapixels por quadro e até maiores. Claro, as primeiras back digitais precisavam de alguns minutos para criar uma imagem e os originais deveriam estar absolutamente estáticos. Mais tarde, os fabricantes de scanners planetários substituíram essas camaras fotográficas híbridas por “cabeças” especialmente desenvolvidas, usando foto-detectores lineares móveis. Atualmente já temos camaras fotográficas de matriz profissional que progridem de forma rápida, alcançando uma resolução maior e a preços cada vez mais acessíveis, recuperando as posições perdidas na digitalização de documentos. Tendo por base essa evolução da tecnologia, e a sua relação preço/qualidade O “scanner de livros” ElarScan, também usa camaras inteligentes e modernas, beneficiando das vantagens inerentes.

Não é só para Livros!

Hoje é necessário explicar de forma simples que um “scanner de livros” não é única e exclusivamente para a digitalização de livros e uso em bibliotecas ou arquivos. O termo “scanner planetário” parece ser o mais correto, mas é difícil de entender. O sistema ElarScan também é “um scanner planetário ou overhead”. Atualmente há inúmeros sistemas no mercado que usam este conceito de sistema de captura sem contato — há vários fornecedores e cada um usa uma terminologia própria, por vezes assente em tecnologia proprietária. Estes sistemas são cada vez mais usados em escritórios, museus, bibliotecas, bancos, ou simplesmente no processamento de livros de escrituras em cartórios, ou no estudo dos processos judiciais — os especialistas falam diferentes idiomas e terminologias. Não é fácil de entender que tarefa e departamento precisa de um produto ou solução destes, no entanto, se o objetivo é capturar, então ELARSCAN é a solução!

Você não pode simplesmente escrever " o melhor scanner"

Claro que nem sempre o ElarScan é a única solução. Há outras opções. Pode-se recorrer ao outrsourcing e solicitar um serviço de digitalização de uma empresa especializada, ir a um centro de cópias ou até mesmo a uma agência de serviços, no entanto, com um sistema de baixo custo, e se a tarefa de digitalização não for muito importante — sem dados pessoais ou direitos autorais, é possível convidar estudantes com cameras de smartphone — e ver o que acontecerá (não recomendado). O resultado talvez não seja o melhor e o mais adequado, e esse tipo de solução pode nem sempre estar disponível ou ser autorizada em determinados lugares. Mas se você realmente precisa digitalizar livros ou outros documentos encadernados, o ElarScan é provavelmente a solução mais versátil e conveniente, no topo — é relativamente barato e cada vez mais usado em todos os lugares. Entre em contato connosco e agendamos uma demo do equipamento ao vivo, facultando todas as informações relevantes.


Thank you, we will contact you soon!

Solicitar contato

* required field

Enviar E-Mail

* required field
×
whats news